Resumo do Livro A Menina que Roubava Livros

Esse livro lançado em 2005 é um sucesso no mundo inteiro. Ele inclusive se tornou um filme. A obra foi criada por Markus Zusak que apesar de ser australiano possui familiares alemães, local onde se passa a história.

Ele na obra se confronta com parte do passado de sua família, pois seus pais conviveram com o nazismo na Alemanha.


Quer saber tudo sobre “A Menina que Roubava Livros”? Então acompanhe o texto.

O Enredo

O livro conta a vida da menina Liesel Meminger. No inicio da história ela está em um trem indo para a casa da sua nova família adotiva.

A trama se passa na Alemanha em 1939. Nessa época que antecedeu a segunda guerra mundial, o partido nazista já dominava toda a Alemanha. Praticamente não havia mais liberdade para os judeus.

E não eram somente os judeus que eram perseguidos. Todos aqueles que eram contrários ao nazismo também sofriam as consequências.

A mãe biológica da Liesel era comunista e por isso não teve alternativa a não ser leva-la para a adoção, pois ela sabia que iria acabar sendo presa assim como seu marido.

Ela acaba indo para na casa de um pintor de desempregado e uma dona de casa mal humorada que se tornam seus pais adotivos. A trama se desenrola durante toda a segunda guerra mundial.

A Menina que Roubava Livros

Resumo do Livro A Menina que Roubava Livros

Então, essa menina de apenas 9 anos está em uma casa estranha em uma cidade estranha. Só que ela possuía algo que a diferenciava e isso está bem explicito logo no titulo do livro. A Liesel era uma menina que roubava livros. Quando ela chegou a casa dos seus pais trazia na sua mala o livro: “O Manual do Coveiro”.

Ela durante a história rouba livros dos mais diversos gêneros e cada uma das obras ela a utiliza como forma de confortar nos momentos difíceis que ela acaba passando. Conforme a guerra vai acontecendo a Liesel passa por diversas situações de medo e angustia e os livros servem para conectar os personagens e para tranquilizar de certa forma a situação.

Os Personagens

A história possui diversos personagens marcantes. A Liesel é o foco central, mas os pais adotivos dela, Hans e Rosa, cumprem papel importante.

O melhor amigo da menina, o Rud, é um dos elementos mais marcantes da historia. O próprio autor diz que ele é seu personagem favorito.

Não podemos esquecer-nos do Max, um judeu que a família adotiva de Liesel o esconde dentro do porão. Sem duvidas uma atitude muito arriscada na época.

No entanto existe um personagem que é o mais inesquecível de todos: a morte. E ela quem narra toda a história o que pode causar uma estranheza no começo.

O interessante é que a morte não é tratada como uma caveira cruel como muitas outras obras a estereotipam.

Na verdade ela não sente nenhum prazer naquele período de guerra e inclusive não entende a postura dos seres humanos que matam uns aos outros.

Os caminhos da morte e de Liesel se cruzam três vezes durante a história. O fato de ela ser uma sobrevivente faz com que a morte queira contar sua história e acaba se apropriando do seu diário.

Sem duvidas todos nós teremos um dia o encontro com a narradora dessa historia, mas somente Liesel teve a oportunidade de ter sua vida contada por ela.

Sem duvidas “A Menina que Roubava Livros” é uma obra que nos traz muitas mensagens. Em meio a um cenário horrível e de muito sofrimento conseguimos enxergar o mundo com a leveza de uma criança.

Onde comprar?

Você já leu esse livro? Conte o que achou da obra aqui nos comentários.


O que você acha do livro "A Menina que Roubava Livros"?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.