Resumo do Livro – A Pedagogia da Autonomia

Essa foi a última obra do escritor Paulo Freire. Foi lançada em 1996, um ano antes da morte do autor. Ela foi motivo de muitas discussões e é uma das obras que norteiam o trabalho de  muitos professores.

Conceitos do Livro

A educação se baseia na relação entre o professor e o aluno.  E quando se une a teoria à prática é que podemos perceber a existência de um ambiente educacional.


Professor e aluno são sujeitos ativos no processo ativo de aprendizagem. Ambos acabam apreendendo.

Isso significa que um professor não só repassa conhecimento da mesma forma que o aluno não consegue aprender sozinho. As duas partes possuem igual importância no processo de acordo com Paulo Freire.

Ensinar e Aprender

Nessa obra Paulo Freire busca direcionar quais são as exigências para um professor e o que ele deve pensar sua prática para desenvolver no seu educando a criticidade.

No primeiro capítulo do livro ele diz que não há docência sem discência. Ou seja, o ato de ensinar está intimamente ligado ao ato de aprender.  

Paulo Freire critica a “educação bancária” na qual o professor deposita o conhecimento e recebia de volta na prova o conteúdo que ele repassou e o aluno simplesmente decorou aquilo que professor exigia. Assim os alunos passam de ano, mas não retém o aprendizado.

Ele também defende que o professor deve ser um eterno pesquisador, pois ensinar exige pesquisa. O papel da escola é criar um aluno crítico e para isso é preciso trazer os assuntos curriculares para a realidade social e concreta dos alunos.

Resumo do Livro - A Pedagogia da AutonomiaA Criatividade

É importante também, segundo Paulo Freire, que os alunos não percam sua criatividade que é proveniente de sua curiosidade. Por isso é importante que o professor saiba estimular isso em seus estudantes.

É papel da escola humanizar o aluno.  E sempre levar em conta seus conhecimentos prévios, ou seja, tudo que ele já vivenciou e aprendeu em sua vida.

“A Pedagogia da Autonomia” defende a importância acima de tudo da liberdade entre aluno e professor. O que vemos constantemente são aulas engessadas em que os estudantes estão apenas preocupados em decorar números e fórmulas com o único objetivo de passar de ano.

A visão que Paulo Freire nos mostra é que é possível sim educar de forma natural e melhorar a qualidade de ensino. Além disso, ele mostra que o processo de aprendizado é uma via de mão dupla.

Antes de saber um pouco mais sobre a vida do autor não deixe de deixar o seu comentário falando sobre os aprendizados que você teve com o livro e que ideias você acrescentaria.

A Vida de Paulo Freire

“Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca,  não aprendo e nem ensino”. Essa é uma das famosas frases de Paulo Freire.

Ele realmente tinha um objetivo de ser um agente transformador na sociedade.

Paulo Freire nasceu em Recife no ano de 1921 e faleceu em 1997. Se formou em Direito e desde muito jovem passou dar aulas de língua portuguesa.  

Ele acreditava que o processo de alfabetização poderia não somente dar  a possibilidade de escrita e leitura como poderia libertar os oprimidos. Esses ideais fizeram com que ele fosse um dos brasileiros exilados durante a ditadura militar que ocorreu no Brasil.

Fora do país ele fez trabalhos importantes e chegou a lecionar na faculdade de Harvard.

No seu retorno ao país passou a ter papel importante na política como secretário da educação do Estado de São Paulo.  

Durante esse período Paulo Freire incentivou campanhas de alfabetização além de lutar pelos direitos e ajustes salariais dos professores.

O que você acha do livro "A Pedagogia da Autonomia"?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Deixe um comentário!